27 de junho de 2006

Grilos e Esperança

A Esperança

Em um pulo impecável o pequeno Grilo invade o quarto sem pedir licença. No começo, pensei que foi simplesmente por ter deixado a janela aberta, mas o bicho parecia ter uma razão para estar ali.
Saltava de um lado para o outro, quase que imediato, quase que desesperador, quase que voava em busca do sabe lá o que... Até o devido momento.
Depois do frenético animal dar a terceira cabeçada na porta do armário, vejo uma nem tão grande, verde e bonitinha Esperança. Daí pude entender a razão da presença daquele pobre Grilo. Ele queria apenas uma companheira, ou apenas sexo, ou apenas um velho amor, ou apenas alguém pra cantar.
A Esperança permanecia imóvel, enquanto o esperançoso Grilo tentava, sem descansar, alcançá-la. Depois de quase uma hora tentando, o apaixonante animalzinho, exausto, perde suas perninhas. E com um olhar dramático – juro que vi uma lágrima – seus olhos foram se fechando calmamente. Ele não agüentara os impactos dos grandes saltos e aguardava lentamente no seu leito de morte o fim de toda aquela dor. A Esperança permanecia lá, imóvel, só observando sem reação alguma.
Enfim, naquele momento eu já estava triste, contudo, nada podia fazer para ajudá-lo. Pude entender que: Pros grilos da vida, infelizmente a esperança é a última que morre.

15 comentários:

narjara disse...

Bom Caio lindu...vc já sabe minha opinião sobre a esperança...
um beiju!
te adoro!

abreu disse...

po ...ele podia ser apenas cego...ou muitu burro...ou vai ver estava bebado ueh?!...i ele tava chorando pq nao conseguia abrir a porta do banheiro q na verdade era do armário...

huhuhuhhuhu

foda o texto tesaum...

beijus

Verônica Gobbi disse...

Esperança!Certamente a última que morre.Parabéns Caetano.Seus textos sempreeeeee bons!
Beijo ;)

vitim "de alegre" (pros mais íntimos) disse...

linda atitude do grelinho...

esperança fié da puta !



;**
bjo pra vc !

Thiago disse...

"você" vendo isso tudo não ter feito nada? quiçá vc era a esperança desse grilo.

muito legal a idéia do texto. um abraço meu grande caetéka.
T+!

Lyvia disse...

Muito lindo o texto que vc fez, na boa gostei muuuuito!!!! muito lindo a esperança que tinha, mesmo vendo que não tinha mais jeito, realmente até no último momento da vida dele ele teve esperança, isso é muito bonito de ser lembrado!!!
Bjus e continue escrevendo, pq é lindo!!!

dante disse...

só idiotas. você, o grilo, eu, e a maioria.

o pior é que não adianta reconhecer isso. tudo se repete.

Cinthia Belonia disse...

Massa seu conto. A esperança é a última que morre... mas morre. Beijos

Caetano Monteiro disse...

a esperança é igual o amor, é ridícula. Mas como viver sem?

Paulinha disse...

lindo, caetano!
espero que nós sejamos um pouco mais fortes que o grilo; pra poder aguentar o impacto dos grandes saltos e, depois, alcançar a esperança, o amor, a felicidade e os afins :)
:*

bruno zanchetta disse...

E aí primão, eu deletei meu orkut cara, ñ tinha mais paciencia; tenho mesmo só o msn agora e o uso muito pouco.
Lindo seu blog, mande bjos a todos aí, um bj pra vc!!!
saudades de todos vcs!!!

bruno zanchetta disse...

Ah sim, antes que me esqueça, poste sempre!!!

bruno zanchetta disse...

Rapaz, vc abandonou o blog?

Larissa Dardengo disse...

Ah esse texto é antigo.. mas eu tenho que comentar..mesmo que só hoje..

Foi a história mais bonitinha que ja li pra um ditado tão popularzinho..
Como eu disse la no seu orkut "impossível não dar aquele sorrisinho bobo no final"...

E até nos comentários você arrasa.. "a esperança é igual o amor, é ridícula. Mas como viver sem?"..

bjs bjs

Sara Norbim disse...

Melhor que o texto, que ao meu ver é impecável, foi o trecho "Pros grilos da vida, infelizmente a esperança é a última que morre". encerrou com chave de ouro.

Mandou muito!
BjoO